Review: Mala in Cuba

Quando se fala em Dubstep, é impossível não referir Mala.

Pioneiro do género, co­fundador da dupla Digital Mystikz e das discográficas DMZ e Deep Medi Musik, Mark Lawrence é, sem dúvida, uma figura de referência para todos os amantes do movimento dubstep, e uma das mais influentes dentro do meio.

É das mãos de Mala que nos surge esta pérola cubana com sabor a mojito fresco, pronto a beber num final de tarde em Varadero. Gilles Peterson, dono da Brownswood Recordings e famoso radialista da BBC, entrou em contacto com Mala em 2011, sugerindo que viajasse consigo até Cuba, com o objectivo de produzir um álbum em colaboração com músicos locais, como parte do seu projecto Havana Cultura. Após praticamente 2 anos de viagens à America Central, a trabalhar em conjunto com diversos artistas como o pianista Roberto Fonseca, o mestre do timbalão Changuito ou a cantora Danaya Suarez, o resultado é o muito aguardado álbum “Mala in Cuba” ­ uma fusão sem precedentes entre os tradicionais ritmos cubanos e as frequências baixas do sul de Londres.

“Boa receita para a banda sonora da Sala e Merengue”, pensa o leitor.

Desenganem­se os mais incrédulos. Todo este álbum é, sem menor sombra de dúvidas, Mala. Não é de todo um clash entre géneros musicais mas sim uma perfeita simbiose entre dois mundos totalmente distintos. Trata­se da interpretação de Mala da cultura cubana. Com uma produção que nos remete aos primeiros lançamentos da DMZ, como “Haunted\Anti War Dub”, todas as faixas têm como viga mestra os graves quentes e as baixas frequências que nos fazem vibrar no peito e na mente, tão típicas das composições de Mark.

A incorporação com os instrumentos gravados em estúdio é perfeita, mas ao invés de tentar manter o ritmo acelerado e alegre da música cubana, Mala envolve os elementos latinos na melancolia dos 50Hz e nos reverbes característicos do Dub, convidando­nos a embarcar numa viagem aos subúrbios de Cuba. Nas palavras de Gilles Peterson “este disco vem realinhar o Dubstep à cultura soundsystem”.

O álbum já se encontra disponível nos formatos Digital, CD e 4LP Boxset Ediçâo Limitada, e podem ser adquiridos através da Broken Dub House, Brownswood Online Store, Bleep, Boomkat, Juno e ITunes

Artigo escrito por: João Henriques
Fotografia por Teddy Fitzhugh